RÁDIO E TV CIEJA PERUS I: INCLUSÃO E CIDADANIA COMO PRÁTICA PEDAGÓGICA EM EDUCOMUNICAÇÃO.

CASTRO, Rossini de Araújo. Rádio e TV CIEJA Perus I: inclusão e cidadania como prática pedagógica em educomunicação. 2018. 45 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização) – Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Curitiba, 2018.

impensajovem+

2/13/2022 0 min read

A RÁDIO E TV CIEJA PERUS I está contemplada no PPP do CIEJA Perus I como agência de notícias escolar com práticas pedagógicas de inclusão e cidadania:

Em 2017 foi implantada a Imprensa Jovem e Adulta, com programação diária de rádio escolar planejada e executada pelos estudantes, bem como documentação e veiculação da atividades realizadas por meio da rádio e da TV CIEJA (CIEJA PERUS I,2018, p.5).

 

Na rede municipal de ensino (RME), os documentos fundadores da educação inclusiva são: Decreto Municipal nº 45.415/04, Política de Atendimento à Inclusão, Art III, § 8 - Parágrafo Único; Portaria SME 5718/04, organiza funcionamento de SAAI; entre outros. No entanto, os citados, balizam a ação de educação inclusiva da unidade escolar conforme registrado no PPP:

O combate a todas as formas de preconceito ou discriminação, entre pessoas com diferenças de cultura, etnia, cor, diversidade (identidade) de gênero, orientação sexual, nacionalidades (imigrantes e refugiados), origem e posição social, profissão, religião, opinião política, deficiência ou outra diversidade é um dos eixos centrais desse PPP, que visa a conscientização do nosso território comunitário para o exercício pleno de uma vida em que se garantam os Direitos Humanos essenciais ao cotidiano, tanto quanto a qualificação para o mundo do trabalho, possibilitando assim combater o subemprego, o desemprego e a exploração que permeiam a população de baixa renda (CIEJA PERUS I, 2018, p.16).

 

A ação pedagógica da RÁDIO E TV CIEJA PERUS I se concretiza no itinerário formativo na sala de informática, onde acontece a oficina de rádio jornalismo, mas permeia todos os ambientes, inclusive o da sala de aula com práticas educomunicativas que visam a inclusão e a cidadania, já definidas neste trabalho.

Quanto a criação da RÁDIO E TV CIEJA PERUS I, foram analisados os planos de aulas das oficinas de Rádio jornalismo ministrado por este pesquisador e com ajuda de duas professoras participantes da web rádio (SÃO PAULO, 2008). Também foram analisados os programas radiofônicos resultantes da oficina de rádio jornalismo. De acordo com os documentos pesquisados a criação da RÁDIO E TV CIEJA PERUS I se deu com a iniciativa dos alunos Marcílio Cavalcante, Renato Gabriel dos Santos, Claudio Antônio das Neves, Regina Célia Santos de Oliveira, Ronilson de Jesus, Quézia Cândido e Raimundo de Souza Leite. Com recursos próprios e com a ajuda dos Professores Rossini Castro, Ceciana Fonseca Veloso de Melo, Carolina Franco e da diretora geral da instituição senhora Franciele Busico. Ficou decidido em reunião realizada no dia 9 de março de 2017 que a RÁDIO E TV CIEJA PERUS I seria a voz dos excluídos. A Experiência congregou alunos que não tiveram a oportunidade de estudar na idade certa e na pluralidade de jovens, adultos, idosos, imigrantes e pessoas com necessidades especiais. Estabeleceu-se a missão de fazer a diferença na própria vida e na das outras pessoas por meio do conhecimento e no respeito aos direitos humanos. Com o uso de celulares, cada estudante se tornaria um ativista dos direitos humanos ao denunciar a ação abusiva da polícia nas comunidades periféricas, nas ações curriculares e intervenções audiovisuais, denunciando o racismo, homofobia, xenofobia, feminicídio e outras atitudes intolerantes fora e dentro da escola. Os protagonistas dessa experiência foram os alunos, que produziram seus conteúdos midiáticos através do site (imprensajovemmais.com). Os objetivos gerais da RÁDIO E TV CIEJA PERUS I são: articular mídia e educação, pensar a cultura como forma de relações entre sujeitos, possibilitar a produção audiovisual no ambiente escolar, garantir os direitos as mídias e liberdade de expressão, fomentar a criticidade no consumo e produção das mídias. Os objetivos específicos são: transmitir informações para a escola e para o bairro de Perus; identificar problemas na região e divulgar os patrimônios históricos materiais e imateriais do bairro.

No primeiro momento, os alunos e professores prepararam o ambiente escolar para sonorização. Foram aproveitados autofalantes já instalados, outros foram montados. Foi utilizado um computador que estava sem uso na sala de informática e iniciou-se a transmissão da Rádio CIEJA Perus I em março de 2017. A transmissão começou com uma seleção de músicas escolhidas por funcionários, alunos, professores e gestão. De imediato sentiu-se a necessidade de uma mediação pedagógica para a Rádio CIEJA Perus I, foi então que em parceria com professores de todas as áreas, foram discutidos temas como reforma da previdência, reforma trabalhista, direitos humanos, fábrica de cimento de Perus, vala dos desaparecidos políticos no cemitério de Perus. Os alunos repórteres propuseram como pauta a temática debatida nas aulas; e ecoaram as ideias debatidas, questionadas, e analisadas sob a perspectiva das mudanças recentes na política e na sociedade, levando em conta os aspectos culturais, econômicos e históricos.

A organização do trabalho radiofônico acontece na oficina de rádio jornalismo ministrado pelos professores (as) Carol Franco, Ceciana Melo e Rossini Castro na sala de informática sempre às sextas feiras, dás 10:00 ás 12:15. Nesses encontros, de forma colaborativa é feita a discussão da pauta, pesquisa na internet sobre o assunto, escrita do texto, locução, gravação e edição de áudio e vídeo. Em cada encontro, os alunos e professores escolhem a pauta e a partir da temática escolhida e, após amplo debate, parte-se para a pesquisa sobre o assunto, que pode ser feita na internet, por meio de entrevista com a comunidade escolar, do bairro ou da região. Na fase de escrita do texto, o aluno repórter conta com a orientação do professor, mas a marca autoral é fundamental na preparação e execução do texto. Feita a escrita do texto, é executada a locução, onde o aluno repórter grava o áudio ou vídeo para posterior publicação na web rádio (http://imprensajovemmais.com/ ), repositório dos áudios, textos e vídeos produzidos pelos integrantes da RÁDIO E TV CIEJA PERUS I.

Além da web rádio, a agência de notícias da unidade escolar conta também com o canal TV CIEJA PERUS 1 no youtube, que apresenta os trabalhos dos alunos repórteres com vídeos dos eventos na escola, na região e na cidade. A equipe de alunos repórteres criou vínculos sociais com parceiros culturais do bairro e periodicamente são chamados para fazer a cobertura jornalística dos eventos culturais que acontecem na biblioteca do bairro, em ONGs e na própria escola. Conta também com o apoio do bloge das redes sociais para divulgar a programação da RÁDIO E TV CIEJA PERUS I com contas no Facebook, Flickr, Google+, Instagram, SoundCloud, Twitter e WhatsApp.

Foi criado um grupo de WhatsApp(Imprensa Jovem Mais) para que os integrantes do grupo se comuniquem diariamente e enviem suas colaborações de forma assíncrona para o site (imprensajovemmais.com). Dessa maneira, mesmo fora do horário de aula, a intervenção dos alunos é contínua e colaborativa.

Passa-se à discussão dos resultados da pesquisa, levando-se em consideração as ações pedagógicas desenvolvidas no âmbito da RÁDIO E TV CIEJA PERUS I, os depoimentos dos participantes e o embasamento teórico.

Trata-se de responder à questão norteadora da pesquisa: Que benefícios as ações pedagógicas desenvolvidas na Rádio e TV CIEJA PERUS I trazem para aprendizagem em relação às habilidades de leitura, escrita, comportamentais e sociais? Far-se-á a análise dos resultados em dois temas. O primeiro refere-se aos benefícios de aprendizagem em relação à leitura e escrita, e o segundo, aos ganhos de aprendizagem em relação às habilidades comportamentais e sociais.

O objetivo primordial das ações pedagógicasda Rádio e TV CIEJA PERUS I foi  de contribuir para o desenvolvimento das competências leitora e escritora e da expressão comunicativa dos alunos. Para isso se utilizou das tecnologias digitais para motivá-los através do uso de vídeos, edição de áudios, blogs e redes sociais. A professora Carolina Franco, atuante na ação educativa da oficina de radiojornalismo do CIEJA PERUS I, sintetiza os benefícios das habilidades de leitura e escrita:

através das pesquisas na internet; da correção dos textos e das reportagens criadas; do auxílio de revisão escrita de textos de outros membros da Rádio e TV CIEJA PERUS I; com as próprias correções dos professores da concordância e da gramática em relação ao conteúdo gerado pelos alunos da rádio; da autonomia da escrita dos alunos em relação a criação de pautas; edição coletiva do material gerado pelo grupo (FRANCO,10 de maio de 2018).

A participante Regina Célia em resposta a este pesquisador sobre os benefícios da aprendizagem, apontou que “melhorou na escrita no sentido de escolher as palavras certas em cadatexto, procurar não ser muito repetitiva e ser bem objetiva no assunto em que escrevo” (Resposta recebida via whatsapp no dia 09 de maio de 2018 ás 12:30). Tal reconhecimento tambémse confirma nas palavras do participante Marcílio Cavalcante: “Eu pude através desta dinâmica escolar, desenvolver minhas habilidades na escrita, interpretação de texto, leitura, oralidade e principalmente a socialização no meu cotidiano (Resposta recebida via whatsApp no dia 10 de maio de 2018 ás 10:07). As competências de leitura e escrita vêm associadas às competências cognitivas e interpessoais configuradas de acordo com Moran (2017)[1], como comprova o depoimento da aluna-repórter Gicélia Pires:

A RÁDIO E TV CIEJA PERUS I é muito importante para o meu crescimento pessoal. Ela me oferece inúmeros recursos e oportunidades para aprender. Com ela venho perdendo o medo de ler em voz alta. Escrever as postagens da rádio vem desenvolvendo minha autonomia para pensar, escrever e criar o hábito da leitura. Ajudando-me assim até escrever pequenos textos (PIRES, Gicélia.Resposta recebida via WhatsApp no dia 11 de maio de 2018 ás 21:11).

 

A experiência da Rádio e TV CIEJA Perus I se apropria dos recursos digitais com as práticas pedagógicas que possibilitam uma aproximação entre as pessoas, ou seja, a transformação desejada no ambiente escolar com a necessidade de incluir toda a comunidade escolar e todos precisa ter o sentimento de participação ativa na transformação. Assim, o trabalho colaborativo aparece como o alicerce de toda e qualquer ação pedagógica desenvolvida na escola.

Passa-se a abordar os benefícios referente às habilidades comportamentais e sociais,segundo tema da análise de resultados da pesquisa. Apresentam-se a fala dos participantes quando indagados sobre os benefíciosque as ações pedagógicas desenvolvidas na RÁDIO E TV CIEJA PERUS I trazem para aprendizagem em relação às habilidades comportamentais e sociais. Em suas respostas. apareceram termos como argumentação, autoestima, confiança, crescimento pessoal, comunicação, desenvolvimento de raciocínio, desinibição, desenvoltura, disposição ao diálogo, encorajamento, proatividade, trabalho em equipe, socialização, segurança, valorização. Isto aparece no depoimento do Professor Alexandre de Geografia:

Esse trabalho produz significados surpreendentes no itinerário formativo dos alunos e alunas: na produção e organização de textos, narrativas, locução, produção de áudios, além de promover atitudes coletivas e fundamentadas nas relaçõescom a arte, a estética e a cidadania (Resposta recebida via WhatsApp no dia 10 de maio de 2018 ás 20:21).

As competências mencionadas nas respostas dos entrevistados coincidem com a classificação de Moran (2017) como competências cognitivas e interpessoais. Para se chegar a elas foram necessários que tanto o professor quanto o aluno mudassem a forma de encarar o ensino-aprendizagem, adotando a aprendizagem ativa e protagonista. Coube ao primeiro propiciar estratégias inteligentes e acolhedoras e ao segundo o envolvimento nas atividades propostas com criatividade e empenho de maneira que a utilização das tecnologias favorecesse o acesso ainformação, desenvolvimento de projetos e multiplicidade da comunicação, da técnica da fala em público (MORAN, 2017, p.1-2,).

No entanto, para alcançar essas competências, foi necessário que os professores tivessem consciência do significado social da atividade pedagógica. A educação de jovens e adultos precisa responder às inquietações dos educandos na volta à escola. Segundo Freire (2017) "ao se instalarem na quase, senão trágica, descoberta do seu pouco saber de si, se fazem problema a eles mesmos. Indagam. Respondem e suas respostas os levam a novas perguntas (FREIRE, p.39, 2017). Portanto, foi preciso ouvir o aluno, pois quem tem mais consciência da opressão é o oprimido. E na RÁDIO E TV CIEJA PERUS I construiu-se um espaço para o exercício da criticidade e da colaboração, com o sentimento de necessidade do outro para se construir um sentido de grupo. Freire (2017) reconhece que é “nos movimentos de rebelião, sobretudo dos jovens que revelam as peculiaridades dos espaços onde se dão, manifestam em sua profundidade esta preocupação em torno do homem e dos homens como seres no mundo e com o mundo” buscando afirmação dos humanos como sujeitos de decisão. Dessa experiência da RÁDIO E TV CIEJA PERUS I, reconhece-se os alunos, da modalidade educação de jovens e adultos, como sujeitos de saberes, de leituras, de consciência, de valores, de culturas aprendidas em suas lutas (FREIRE, 2017, p.39). Essas habilidades são exaltadas como resultado da experiência da web rádio, pela Coordenadora Pedagógica da unidade, em seu depoimento, quando afirma que a Rádio e TV CIEJA PERUS I:

rompe com o espaço da sala de aula como único lugar escolar para se adquirir conhecimentos, permitiu e permite aos estudantes envolvidos a criação de outros espaços de interação, convivência com toda equipe escolar, o que favorece uma rica troca de vivências e saberes, tanto aos educadores como para os educandos, que perpassa a aquisição do repertório de letramento dos educandos ampliando para aspectos como postura profissional e inserção em ambientes sociais com desenvoltura antes não observada (COELHO, Sheila. Mensagem recebida via WhatsApp no dia 15 de maio de 2018 ás 14:09).

 

 A prática pedagógica do Centro Integrado de Educação para Jovens e Adultos Perus I é planejada coletivamente, primeiro entre as disciplinas da área e depois no coletivo da escola. Os temas da rodada são selecionados a partir da consulta aos alunos e depois sistematizados nas áreas de conhecimento, respeitando as especificidades das disciplinascorrespondam a necessidade coletiva tanto dos alunos como dos professores.

Neste trabalho, constatou-se que a utilização da web rádio na escola favorece o aprendizado de maneira ativa e colaborativa. Pode-se perceber que o trabalho em equipe é fundamental para o prosseguimento do projeto, pois, em duplas ou grupos, o trabalho colaborativo se efetiva e são fortalecidos os vínculos sociais.

Os benefícios que as ações pedagógicas desenvolvidas na RÁDIO e TV CIEJA PERUS I trouxeram para aprendizagem foram que os alunos repórteres envolvidos conseguiram ao longo do projeto desenvolver a leitura crítica da mídia, produzir sua própria mídia, articular ações do cotidiano levando em consideração os direitos humanos, a diversidade e a questão de gênero. Exercitaram as habilidades escritora e leitora, sendo que se tornaram escritores plenos com publicação de textos, áudios e vídeos. Além do ganho pessoal dos envolvidos no projeto, a comunidade escolar, como um todo, ganhou voz, escutando, debatendo e se fazendo ouvir nas questões pertinentes à sua realidade. A RÁDIO E TV CIEJA PERUS I também se tornou um ponto de encontro de jovens, adultos, idosos, moradores de rua, imigrantes e pessoas com deficiência. A convivência entre indivíduos tão diferentes possibilitou criar um ambiente de valorização da pessoa, de respeito ao outro e à diversidade.